quarta-feira, 16 de junho de 2010

You could be mine tonight ♫

No céu é uma tira, mas sozinha ocupa meu coração inteiro. Não é nada que eu não possa ter e ainda assim quer ser dona de meus devaneios. De fato, não a tenho. Mas como é que poderia ter lhe ainda mais? Será possível viver em sua órbita? Ou até mesmo residir em sua luminosidade? Teu solo imperfeito, moldado nos defeitos exatos pra me fazer te amar.
Insisto em procurá-la quando não está lá e, incansavelmente, imploro que me aceite quando não quer me deixar te olhar.

Sabe que não sou tão reles. Mas perto de você, argumentar o quê? Argumentar nada. Apenas suplicar que fique ao meu alcance. E nem precisa ser das mãos; pode ser dos meus olhos. Permita, vossa majestade de tudo que é belo, que em ti eu possa me perder. Mas me perder sem tirar os olhos do que for você, para que só assim eu possa aceitar esse labirinto sem término, tão impossível de negar, mas tão simples de sair. Será que pode subir ao topo a fim de que seja mais fácil te olhar?

Se não quer que eu te ame, por que permite que eu me fascine? E me aparece, a cada dia, mais bela – mesmo que no dia anterior eu tenha pensado que a partir dali já fosse impossível.
Que eu morra agora: continuará sendo minha. Porque isso se verifica na tua vivência e no teu perdurar. Na tua ousadia correta de poder brilhar sem mim. Já eu, meudeus!, em que nada me tornaria sem você? De certo que um nada tão pouco que não há o quê dele dizer.

- Menina, venha ver a Lua.
- Ela... – hesitou a pequena – está sorrindo?
- Sim, ela está. Sorrindo e, sem você notar, seduzindo você.
- E... Por quê?
- Sorrindo porque está seduzindo. E seduzindo porque outra coisa não saberia ser.

Um comentário:

Maria Julia disse...

Ai ai viu...esses sorrisos fascinantes...

Que continue sempre assim, linda, forte e iluminada...linda menina da lua

"Leve na lembrança
A singela melodia que eu fiz
Pra ti, ó bem amada
Princesa, olhos d'água
Menina da lua"