terça-feira, 28 de outubro de 2008

Meu mais novo cesto de lixo ­ ­ ­ ­ *-*


A partir de hoje, despejo aqui todo e qualquer tipo de lixo que meu ser reproduzir em palavras.
O Rafa disse que queria me ver falando demais; é Rafa, temo que verá o que ansiou [Falando em Rafa, espero que esteja foda ai em Porto, viu? Amo você]. Eu vou despejar SIM tudo o que eu quiser falar, com nomes, sem nomes; pouco importa, mas a verdade é que prefiro o mistério.
Textos sentimentais, informativos, críticos... Quem sabe afinal? Desde o início eu já sabia que não ia me controlar, escreveria sem parar, sem me refrear. Claro, o que eu escrever aqui será a verdade, será fato e condizerá com meus reais pensamentos ou sentimentos, nem que seja apenas pra mim ou exclusivamente no momento em que escrevi. Não alego ser constante e muito menos o contrário - sinceramente, amo estar em transição *-*. Despejarei aqui, definitivamente, minhas experiências, meus sentimentos, meus pensares. Presumo que nada muito premeditado, serão meus deslizes, minhas confissões acidentais.
Isso não é um diário, é meu jornal informativo. Eu não sei que tipo de coisa vou confessar aqui, mas já que é tudo bem acidental, é natural que eu realmente não saiba.

Quem vos fala sou eu. Amanda, Naninho, A.J. ..., como queira.

Um comentário:

Fladja Rodrigues disse...

O mais foda é que consegui enxergar a Nano em cada linha desse texto publicado em 2008. legal saber que você demais desde de 2008.